Arte disfarçada em luta


Instrumentos usados na capoeira

04-04-2011 00:15

A música é um componente fundamental da capoeira. Foi introduzida como forma de ludibriar os escravizadores, fazendo-os acreditar que os escravos estavam dançando e cantando, quando na verdade também estavam treinando golpes para se defenderem. Ela determina o ritmo e o estilo do jogo que é jogado durante a roda de capoeira. A música é composta de instrumentos e de canções, podendo o ritmo variar de acordo com o Toque de Capoeira de bem lento (Angola) a bastante acelerado (São Bento Grande). Muitas canções são na forma de pequenas estrofes intercaladas por um refrão, enquanto outras vêm na forma de longas narrativas (ladainhas). As canções de capoeira têm assuntos dos mais variados. Algumas canções são sobre histórias de capoeiristas famosos, outras podem falar do cotidiano de uma lavadeira. Algumas canções são sobre o que está acontecendo na roda de capoeira, outras sobre a vida ou um amor perdido, e outras ainda são alegres e falam de coisas tolas, cantadas apenas para se divertir. Os capoeiristas mudam o estilo das canções frequentemente de acordo com o ritmo do berimbau. Desta maneira, é na verdade a música que comanda a capoeira, e não só no ritmo mas também no conteúdo.

Os instrumentos são tocados numa linha chamada bateria. O principal instrumento é o berimbau, que é feito de um bastão de madeira envergado por um cabo de aço em forma de arco e uma cabaça usada como caixa de reverberação. O berimbau varia de afinação, podendo ser o Berimbau Berra-Boi(mais grave), Médio ou Gunga(médio) e Viola (mais agudo). Os outros instrumentos são: pandeiro, atabaque e com menos freqüência o ganzá e o agogô.

 

 

Toques

As variações musicais do berimbau são os vários toques executados pelo tocador para definir o tipo de jogo que será feito na roda. Um bom capoeirista deve, ou melhor, tem obrigação, saber o maior número de toques, bem como o significado e o tipo de jogo praticado em cada um desses toques.

 

 

Os toques mais conhecidos são:

Angola - São Bento Grande

São Bento Pequeno - Angolinha

Iúna - Lamento

Amazonas - Cavalaria

Santa Maria - Benguela

Idalina - Maculelê

Samba de Roda - Samba de Angola

São Bento Grande de Bimba - Samango

Valsa - Samba de Enredo

São Bento Corrido - Choro

 

 

Para cada toque, um estilo de jogo:

Estes são os toques mais usados, cada um deles tem um siginificado. Vejamos:

 

TOQUE DE ANGOLA

É o toque específico do jogo de Angola. É um toque lento, cadenciado, bem batido no atabaque, tem um sentido triste. É feito para o jogo de dentro, jogo baixo, perigoso, rente ao chão, bem devagar.

ANGOLINHA

ANGOLINHA: É uma variação pouco mais rápida do toque de angola, serve para aumentar o ritmo quando vai mudar o jogo.

SÃO BENTO PEQUENO

É o toque para jogo solto, ligeiro, ágil, jogo de exibição técnica. Também conhecida como ANGOLA INVERTIDA.

SÃO BENTO GRANDE

É o toque mais original da capoeira Regional. É muito usado em apresentações públicas, rodas de rua, batizados e outros eventos e também nas rodas técnicas das academias para testar o nível de agilidade dos alunos.

TOQUE DE IÚNA

É usado apenas para o jogo dos mestres. Neste toque, aluno é platéia, não joga nem bate palmas, jogam apenas os mestres e contra-mestres e algum instrutor, professor ou aluno graduado se, por ventura, seu mestre autorizar e lhe ce der a vez de jogar. No toque de Iúna não há canto.

LAMENTO

É o toque fúnebre da capoeira. Usado apenas em funerais de mestres.

AMAZONAS

É o toque festivo, usado para saudar mestres visitantes de outros lugares e seus respectivos alunos. É usado em batizados e encontros.

CAVALARIA

É o toque de alerta máximo ao capoeirista. É usado para avisar o perigo no jogo, a violência e a discórdia na roda. Na época da escravidão, era usada para avisar aos negros capoeiras da chegada do feitor e na República, quando a capoeira foi proibida, os capoeiristas usavam a "cavalaria" para avisar da chegada da polícia montada, ou seja, da cavalaria.

SANTA MARIA

É o toque usado quando o jogador coloca a navalha no pé ou na mão. Inscita o jogo mas não incentiva a violência.

BENGUELA

É o mais lento toque de capoeira regional, usado para acalmar os ânimos dos jogadores quando o combate aperta.

MACULELÊ

É o toque usado para a "Dança do Maculelê", ou para o jogo do porrete, faca ou facão.

IDALINA

É um toque lento, mas de batida forte, que também é usado para o jogo de faca ou facão.

SÃO BENTO GRANDE DE BIMBA

Como o nome já diz, é o toque de Bimba, pois é um tipo de variação diferente que mestre Bimba criou em cima do toque original de São Bento Grande. É o hino da Capoeira Regional Baiana.

SAMBA DE RODA

É o toque original da roda de samba, geralmente feita depois da roda de capoeira, para descansar e descontrair o ambiente. É no Samba de Roda que o capoeira mostra que é bom de samba, bom de cintura e bom de olho em sua companheira.

Outros toques que não foram citados são toques mais usados para florear, enfeitar o jogo, dar andamento à roda, geralmente são usados em eventos e festas de capoeira para esticar a duração do jogo quando se preparam outras atrações durante o aconteciment o da roda.

É essencial a um bom capoeira que ele domine com perfeição todos os toques que conseguir e que pratique o ritmo dos três berimbaus ou seja, que ele toque o Gunga tão bem quanto o Médio e este tão bem quanto o Violinha.

 

Última atualização em Sex, 20 de Agosto de 2010 05:35
 

—————

Voltar